Project Description

GESTÃO DE RESÍDUOS

Durante a obra

A gestão de resíduos para o empreendimento compreendeu tanto a fase de obra, quanto a de operação. Durante a obra, estabeleceu-se a meta principal de dar destinação alternativa a 70% dos resíduos, evitando seu envio para o aterro sanitário.

Os resíduos foram divididos em 7 categorias papel/papelão, plástico, metal, madeira, entulho, comuns e perigosos.

Uma parte da madeira foi doada para instituição sem fins lucrativos e a restante destinada à queima em fornos de geração de energia de indústrias cerâmicas da região. 53% dos entulhos foram reutilizados na própria obra, 46% encaminhados para usina de reciclagem específica de resíduos da construção civil, e 1% doado a entidades filantrôpicas; papel, papelão, isopor, metal e plástico foram doados para a Associação de Catadores de Resíduos de Governador Valadares (ASCANAVI); os resíduos perigosos foram incinerados por empresa especializada; e aqueles que não têm tecnologia de reciclagem disponível e não são perigosos foram destinados a aterros sanitários classe II. Todo o processo de destinação foi documentado.

Ao final da obra, a meta foi superada e 94% dos resíduos foram reutilizados ou reciclados. No total, foi gerado volume equivalente a 13 caçambas de 5 m³, sendo que apenas 1 foi destinada para o aterro sanitário.

Durante a Ocupação e Operação

Para o período de ocupação e operação do edifício existe um procedimento para gestão dos resíduos. A separação dos resíduos será feita da seguinte forma:

  1. Pilhas e baterias;
  2. Resíduos Eletrônicos;
  3. Papelão;
  4. Resíduos perigosos;
  5. Resíduos Comuns (não recicláveis);
  6. Resíduos Recicláveis (papel, plástico, vidro e metal).

Uma área dentro da edificação foi dedicada ao armazenamento temporário de resíduos (CATRE) até a coleta. Em cada ambiente do edifício há coletores específicos para cada tipo de resíduo gerado.

Estratégias de Sustentabilidade